Associação dos Deficientes de Angola manifestam preocupações à Provedora de Justiça

Associação dos Deficientes de Angola manifestam preocupações à Provedora de Justiça

Associação dos Deficientes de Angola manifestam preocupações à Provedora de Justiça

A Provedora de Justiça, Florbela Rocha Araújo, recebeu, hoje, quarta-feira 7, representantes da Associação Nacional de Deficientes de Angola-ANDA, que apresentaram as principais preocupações daquele segmento social.

De acordo com o assistente jurídico do grémio, a audiência serviu para “estreitar a parceria institucional com o Provedor de Justiça para as rápidas respostas aos vários problemas da classe, com realce para as situações de acessibilidade”.

A propósito desta preocupação, a Provedora de Justiça reconheceu que ” a maior parte das instituições públicas e privadas está sem rampas de acesso”, tendo sido objecto de encontro e recomendações ao Ministério da Construção e Obras Públicas e demais organismos.

Amarildo Pinto, que esteve em representação do presidente, Silva Agostinho, manifestou o interesse em cooperar no que for “necessário e oportuno” com a instituição em matérias ligadas ao segmento.

Deu a conhecer o projecto “Mente Inclusiva”, que, com o prazo breve para a sua implementação, vai promover os direitos das pessoas com deficiência para educar a sociedade a respeitar esta franja.

Este encontro acontece cinco dias depois da celebração do 32.° aniversário de existência da Associação Nacional dos Deficientes de Angola-ANDA, comemorado a 2 de Fevereiro, com o estatuto de utilidade pública, tutelada pelo MASFAMU e tem nas suas fileiras mais de 25 mil associados, distribuídos em géneros e categorias, independente do grau de deficiência.

A ANDA é de âmbito nacional, estando representada, por ora, em Benguela, no Bié, em Cabinda e no Huambo.

Está a trabalhar na criação de condições administrativas para a revisão e implementação da mudança da expressão “deficiente” para “pessoa com deficiência”.

O grémio está, igualmente, empenhado na formação dos associados, em parceria com o MAPTSS, devendo, em breve, as suas instalações receber uma visita da Provedora de Justiça,Florbela Rocha Araújo para constatar as condições dos associados.

Recorde-se que recentemente, a Provedora de Justiça manteve encontro com a Associação Angolana de Direitos e Inclusão de Mulheres com Deficiência.

Anterior PNUD e Provedoria de Justiça encerram formação em Tramitação Processual

Deixe o seu comentário

O Provedor de Justiça é uma Entidade Pública Independente do Estado…

Relações Internacionais

Links Úteis

© 2023 Provedor de Justiça de Angola - Todos os direitos reservados

wpChatIcon