Provedora de Justiça pede maior comprometimento dos trabalhadores da provedoria no atendimento ao cidadão

Provedora de Justiça pede maior comprometimento dos trabalhadores da provedoria no atendimento ao cidadão

Provedora de Justiça pede maior comprometimento dos trabalhadores da provedoria no atendimento ao cidadão

N

A Provedora de Justiça de Angola, Dra. Florbela Rocha Araújo reuniu-se nesta terça feira, no Salão Nobre do Palácio da Justiça, em Assembleia Geral, com os funcionários, agentes administrativos e titulares de cargo de direcção e chefia da Provedoria de Justiça, a que exortou para um maior envolvimento e comprometimento no atendimento ao cidadão que no dia a dia acorrem aos serviços do Provedor de Justiça.

O referido encontro teve como objectivos principais apelar os trabalhadores a necessidade de observarem o Código de Ética e de Conduta e ouvir destes as preocupações e constrangimentos constatados no decurso das suas actividades.

Durante a  sua intervenção, a Provedora de Justiça destacou a necessidade dos funcionários e agentes administrativos realizarem as suas actividades  baseada na observação da Lei Orgânica do Estatuto do Provedor de Justiça, Lei da Provedoria de Justiça, Código de Ética e de Conduta da Provedoria de Justiça e Regime Disciplinar da Função Pública, a fim de infundir uma conduta pautada por princípios, valores e regras alicerçadas no respeito pelos superiores hierárquicos, na justiça, transparência e na ética profissional, como primeiro passo para o estabelecimento da necessária relação funcional, colocando o cidadão como prioridade.

A “Ombudsman” apelou ainda à tomada de medidas disciplinar aos funcionários cuja conduta não dignificam a Nação, nem a Instituição.

Por sua vez, o Provedor de Justiça Adjunto, Dr. Aguinaldo Cristóvão, realçou a necessidade dos colaboradores das distintas áreas munirem-se de conhecimento jurídico-legal para responder com eficácia e eficiência as várias preocupações apresentadas pelos cidadãos que apresentam as suas queixas e reclamações à Instituição Provedor de Justiça.

Por seu turno, os trabalhadores apresentaram as suas propostas e inquietações, que se prendem mormente com o aumento de equipamentos de trabalho, plano de formação e instalações próprias.

Quanto a possibilidade da Provedoria de Justiça vir a trabalhar em instalações próprias, a Provedora de Justiça, adiantou que contactos estão a ser levados a ca  bo junto dos órgãos competentes para se encontrar as melhores vias para o problema.

 

Dentre as prioridades do plano estratégico da Provedoria de Justiça, garantiu que a formação dos técnicos da Provedoria de Justiça, quer no País como no exterior é a grande aposta.

Anterior Provedora de Justiça realiza primeira Reunião do Conselho Alargado da Provedoria de Justiça do ano de 2022

O Provedor de Justiça é uma Entidade Pública Independente do Estado…

Relações Internacionais

Links Úteis

© 2023 Provedor de Justiça de Angola - Todos os direitos reservados

wpChatIcon